NÃO É TODO DIA!!!

Dia da mulher não é todo dia não. Isso é só parte do pensamento escroto que foi introjetado na sua mente, cujo anacronismo você não aceita rever, repensar, quebrar.

Destruir.

Dia da mulher não é todo dia. Todo dia é aquilo que você usa para subjugar, desrespeitar, diminuir, parabenizar por aquilo que você chama de “lugar de mulher”, para fugir de suas responsabilidades cotidianas e mostrar uma superioridade que não existe, de direito, mas que se tornou fato por pensamentos como estes.

Dia da mulher não é todo dia. Mas todo dia é dia de mulheres morrerem ao redor do globo, apenas por serem mulheres.

Dia de mulher não é todo dia porque, dia após dia, elas se matam trabalhando em jornadas exploratórias, escravizadas, porque à elas são atribuídas tarefas que “são feitas para elas”, enquanto você, que tem exatamente dois braços, duas pernas e, algumas vezes, até mais força – física, diga-se de passagem -, do que elas, apenas observa e cobra resultados, da janta à roupa, da vassoura ao sexo, muitas vezes de forma inescrupulosa.

Dia de mulher não é todo dia. Mas todo dia é dia de procurar em alguma mulher um prazer que, na sua mente, ela tem a obrigação de lhe dar e, tendo sorte, quem sabe chegar lá também.

Isso quando você não diz que o prazer feminino não existe, que ele se resume a lhe dar prazer, como você expõe pelas redes sociais, protegido pela segurança da tela, que não reage.

Dia da mulher não é todo dia. Mas todo dia é dia de ler e ouvir a sua boçalidade, utilizando textos sagrados fora do seu entendimento para corroborar o seu nível hard de escotismo. Usando o sagrado para profanar algo divino. Uma contradição que você nunca vai parar para perceber, porque você prefere ficar ouvindo o eco de seus discursos vazios de sentido, valor, amor, reciprocidade. Que também são contradições com a fé que você ousa dizer que tem.

Explicar contradições fica pra outra vez.

Dia da mulher não é todo dia. Porque se fosse, você lembraria disso na hora do pagamento mensal do salário, que quase sempre é defasado em relação ao seu, mesmo que ela esteja no mesmo cargo que o seu, ou até acima.

Dia da mulher não é todo dia. Mas todo dia é dia de ler que uma mulher foi – ou pode ser – estuprada porque, simplesmente decidiu vestir a roupa que ELA escolheu, mostrando sua beleza ou não – que JAMAIS depende de qualquer conceito seu de beleza, diga-se de passagem. Aliás, na maioria das vezes, é a roupa apenas um argumento patético da mente criminosa. Basta ser mulher. E é nestes todos os dias que ela é responsabilizada pela imundície do homem, dito animal racional.

Porque “pede”.

Dia da mulher não é todo dia é poderíamos ficar falando sem parar. Mas não é necessário. Elas têm muito mais a dizer e com muita propriedade sobre estas e outras histórias.

A diferença é que a mulher faz dela o seu dia todos os dias. Por ela mesma, lutando contra tudo isso e muito mais, regada a força, coragem, luta, amor e… Medo.

Todos somos machistas. Escrevi você, mas poderia escrever “nós” em muitos dos casos acima. Isso nos foi, como disse lá no início, introjetado. Geração após geração, continuamos alimentando este monstro que nos sopra ao ouvido que somos melhores do que elas, simplesmente pelo fato de sermos homens.

Luto contra meu machismo, assim como luto contra outras discriminações que nos foram “ensinadas” ao longo dos tempos, sempre. Nos últimos anos, principalmente. É uma luta diária para não escorregar.

Mas é uma realidade que pode ser mudada. Dia após dia.

Não adianta alguém chegar e dizer “eu não sou”, porque quando seu discurso lhe contradizer, logo ali na frente – e vai acontecer -, você vai inventar outra desculpa, e depois outra e assim por diante. Mais do que isso, seus interlocutores, ou alguns deles, vão concordar com você e assim este monstro continua com o estômago cheio e o intestino invertido com o esôfago.

Dia da mulher é dia especial. É dia de luta, de relembrar as centenas, milhares de mulheres que morreram lutando pelas pequenas vitórias que, hoje, dão força à resistência da mulher na sociedade. Vitórias estas que, tantas vezes, nem chegaram a ser vistas por estas mulheres.

É dia de elas se unirem e mostrarem força na luta pelos seus ideais.

Dia da mulher é um dia especial. Mas não porque você quer contemporizar o todo com flores, chocolates ou jantares. Porque o final desta história, tantas vezes, nós conhecemos. Se não houver “recompensa”, o monstro acorda.

É evidente que presentear alguém é ótimo. Mas é muito, absolutamente mais do que isto.

Sempre.

Dia da mulher é um dia especial porque é o dia de ouvir as vozes de quem resistiu a tudo isto e muito mais e insiste em dizer ao mundo que vai continuar resistindo, lutando, vencendo, até que, mesmo com todas as diferenças que há entre os seres humanos, entre homens e mulheres, mesmo com os discursos teóricos de igualdade de direitos, mesmo correndo todos os riscos que correm ao gritarem por suas vidas, mais do que direitos, igualdade, elas merecem justiça.

Equidade.

Não domino os movimentos femininos. Não domino muitos movimentos. Mas todo o movimento que tiver em seu discurso: verdade, justiça, equidade, amor e luta, este é um movimento justo e, mais do que isto, necessário.

E se é necessário, algo causou esta necessidade. Há muitos e muitos anos. Reafirmo: MUITOS e muitos anos.

Até quando vamos manter o discurso anacrônico, discriminatório, violentador e subjugador?

Dia Internacional da Mulher. Mulheres, não pretendi escrever este texto para ser voz de nada. Este texto não é para as mulheres. E sim para nós homens.

Porque de texto, discurso, luta, força, resistência, voz… disso – e de tudo mais – vocês têm total domínio, categoria e controle para fazerem da melhor forma possível.

Sigam lutando. E parabéns pelo seu dia. Que ele seja mais um dia de dar voz ao que precisa ser dito.

E aos homens. Calem a boca e escutem.

Comentários

Comentário